segunda-feira, 5 de junho de 2017

Uma invenção boa pra cachorro

Hehe! Demorou mas apareceu qualquer coisa aqui... Enquanto o Macagnan escrevia estas palavras, passava pela sua mente uma cena de um velho filme de faroeste típica de uma cidade fantasma com aquelas moitas de plantas secas rolando no meio do nada...



É... tempo livre ultimamente tem ficado escasso, e os projetos iniciados então... Estão para todo o lado esperando a vez de serem finalizados.

Dessa vez é só isso mesmo, como o próprio título do blog diz: "um bom bate-papo a respeito de quase tudo". Pra variar, sobre cachorros. Ou melhor, invenções boas pra cachorro no sentido próprio mesmo.

Uma das maiores dificuldades do Macagnan era fazer com que não faltasse água para seus dois cachorros (na verdade mãe e filho) já que abastecer uma vasilha com água cinco ou seis vezes ao dia era muito trabalhoso. Por outro lado, não era justo os cachorros passarem sede. O jeito era partir para a automação. Mas deveria ser algo independente de energia elétrica, sensores, Arduíno e o escambau eletrônico que se enfia em tudo que é bugiganga de hoje em dia. A questão era fazer algo independente de energia elétrica, que funcionasse continuamente, tivesse uma autonomia razoável, fosse fácil de manejar e limpar. E que fosse de manutenção simples. E agora, caro leitor, antes de ir adiante tente imaginar uma solução para isso.

Pois bem, depois de noites e noites (era só esse período que sobrava para o Macagnan pesquisar) procurando ideias na internet, saiu isso:

Uma pia automática! Que coisa! Mas como isso funciona? Aliás, ISSO FUNCIONA?

Vamos ver por partes como a "coisa" foi construída pelo Macagnan:

Primeiro, o reservatório:

De lado...
... e de frente
O reservatório é qualquer recipiente que possa ser utilizado para armazenar água potável sem vazar e que não esteja contaminado (você não vai querer que seu animalzinho de estimação beba água contaminado com sei-lá-o-quê que vai fazer mal ou pior...). O Macagnan usou uma pipa plástica de vinte litros e deu um jeito de adaptar no lugar da torneira uma conexão para mangueira. A estrutura foi feita no improviso, usando pedaços de madeira, parafusos e pregos que se tinha disponível e foi montada sob medida para que a pipa encaixasse justa e bem presa na estrutura. Aí a dona Macagnan pediu para colocar umas rodinhas para facilitar o deslocamento da estrutura. Nada que uma furadeira e uma serra copo grande não resolvessem.

O passo seguinte foi a pia:


Uma pia de plástico e uma bóia comum preparada para caber na pia em uma posição que não atrapalhasse o ato de matar a sede. A bóia ficou assim depois de preparada:


A haste de metal da bóia foi cortada e as duas partes foram unidas com Durepoxi para que a bóia cabesse dentro da pia e tivesse curso suficiente para funcionar. O passo seguinte foi trazer a água até a bóia. E para isso o Macagnan usou dois metros de mangueira e uma conexão para a bóia:


Um "cachimbo" ou adaptador para mangueira enroscado na bóia e preso à mangueira que vai levar a água. Como a mangueira não parava de se mexer e com isso alterar a posição da bóia, o jeito foi furar uma parede lateral da pia com uma serra copo e passar a mangueira por esse furo para estabilizar a bóia. Resolvido isso, foi só prender a pia em um lugar acessível aos bichinhos, conectar a mangueira na caixa dágua e enchê-la; e...


Está feita a pia automática. E o Macagnan garante que funciona mesmo, sem energia elétrica, sem eletrônicos ou outra frescuragem moderna. 


Pra quem não viu taí o detalhe do encaixe da mangueira aí está.

Pronto! tudo instalado e funcionando até hoje!


E já que o Macagnan estava lidando com madeiras, em um outro fim de semana o Macagnan resolveu um problema que o incomodava:


Uma janela baixa, deformada pela ação do sol e da chuva e fácil de abrir. Mas nada que uns pedaços de madeira, pregos e parafusos de madeira com cabeça lisa, porcas e arruelas não resolvessem. A cabeça do parafuso ficou na parte de fora e por ser lisa não vai ser fácil agarrá-la e tentar desaparafusar. E para garantir que o parafuso não vai sair com facilidade, a ponta foi cortada no tamanho exato da superfície da porca e rebatida com martelo e uma punção para criar uma espécie de rebarba que tem a função de dificultar a saída da porca.

Nas próximas postagens o Macagnan vai trazer mais projetos que andou fazendo nesse período de ausência do blog.

Bom, pessoal. Por hoje é só e até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Google+