sábado, 3 de janeiro de 2015

Êba! Acabou!

Peraí! não se assustem. O Macagnan não tá festejando o fim de 2014 (bem que merecia ser festejado mas... deixa pra lá) mas o fim de um projeto dentre os muitos que estão aguardando a anos na fila de espera. É pra começar bem 2015!

Bem, no capítulo anterior, quer dizer, na postagem anterior, a parte de marcenaria e pintura ficou pronta, dados os devidos descontos pois o Macagnan nunca estudou marcenaria mas dá pra quebrar um galho. E tinha ficado faltando a parte eletrônica da "coisa". Agora não falta mais. Vamos lá. Primeira foto:

Parte inferior do joystick

Assim ficou a parte inferior do joystick, já com a fiação devidamente soldada nos microswitches. Pra ficar uma coisa bem feita o Macagnan tentou padronizar nos controles as cores dos fios (reaproveitados de uma fonte velha de computador que tinha "aberto o bico"). Os fios coloridos foram ligados no terminal NO (normalmente aberto) do microswitch e o preto no terminal COM (comum). Uma dica na hora de adquirir microswitches: os mais macios que o Macagnan encontrou foram da marca Zippy (chinês) e Mimo (italiano).
O fio ligado ao terminal COM foi o preto. Para não se atrapalhar na hora de ligar os fios o Macagnan virou o controle para trás e foi mexendo o joystick e marcando quais microswitches eram acionadas. Para fazer as ligações ao cabo, os microswitches são invertidos ao sentido que vai o joystick: se o joystick é empurrado para a direita, o microswitch da esquerda é acionado e vice-versa. Se o joystick é empurrado para cima, o microswitch de baixo é acionado e vice-versa. Isso é IMPORTANTE manter em mente na hora de se ligar os fios corretamente para que não aconteça de, por exemplo ao jogar Alex Kidd no Master System, você empurre o joystick para a direita e ele vá para a esquerda.

Prendendo o cabo na caixa do controle

Hora de prender o cabo na caixa do controle e o Macagnan acreditou piamente que a guarnição iria se encaixar no vão feito no MDF. Que engano! O MDF era mais grosso que o sulco para encaixe. O jeito foi apelar para o tradicional, universal e 100% eficiente nó por dentro. Resolvido o problema. Hora de preparar o cabo para a soldagem:

Cabo ainda com o conector




Para o Macagnan não se perder, o jeito foi cortar um a um os fios do cabo para fazer as ligações e manter o mapinha feito à mão para servir de referência:

Vai à mão mesmo!

Depois, durante a montagem, o Macagnan descobriu um erro neste mapeamento: os fios 3 e 4 estavam trocados no mapeamente, causando aquele problema do personagem ir para o lado inverso do que se queria. A sequência correta ficou assim neste cabo:

CONECTOR PLANO:    7  5  4  3  6  9  1  2  8

A pinagem do conector DB9 permanece a mesma:

CONECTOR DB-9 LINHA 1:    5  4  3  2  1
CONECTOR DB-9 LINHA 2:    9  8  7  6
 
Inicialmente, o Macagnan reuniu todos os fios pretos e soldou-os juntos. Estes são os fios ligados ao COM dos microswitches.
 
 
Fios negativos soldados juntos
 
E em qual fio do cabo vão estes fios? Para responder esta pergunta, uma rápida olhada no site pinouts.ru respectivamente nas pinagens do Master System e do Atari 2600 para ver quem é quem nesta história: 

Pino 1 - Cima
Pino 2 - Baixo
Pino 3 - Esquerda
Pino 4 - Direita
Pino 5 - Não usado
Pino 6 - Botão 1
Pino 7 - Não usado
Pino 8 - Negativo ou terra

Esta pinagem é comum ao joystick CX-40 do Atari 2600 e ao controle do Master System. A única diferença é:

Pino 9 - Botão 2

O botão 2 não existe no joystick CX-40 do Atari mas sim no controle do Master System.Este botão terá um tratamento especial mais adiante.

Resolvida a dúvida, vemos que o negativo ou terra é o pino 8 do conector DB9, já mapeado anteriormente. Soldamos então o fio do pino 8 (vela figuras acima em caso de dúvida) e, por ser uma emenda mais grossa já a isolaremos com fita isolante antes dos demais fios serem soldados. Após isto, prosseguimos com o processo de soldagem ligando a cada fio o seu respectivo microswitch menos o fio que vai ao pino 9 por enquanto. O Macagnan lembra aqui que os microswitchs do joystick trabalham ao contrário ou seja: joystick para cima, microswitch de baixo acionado. Em caso de dúvida, faça a marcação:

Só para relembrar a marcação feita nos microswitches

Ao chegar no botão 2, não ligue diretamente ao fio correspondente no cabo, ele tem um "tratamento especial". 

Ligação adicional do botão 2

Como o Macagnan disse anteriormente, o botão 2 (pino 9) não existe no controle CX-40 do Atari 2600 e sim no controle "paddle" (CX-30) e no teclado numérico e também no Master System, o fio do botão 2 é soldado antes em um terminal da chave de seleção de console e depois é soldado do outro terminal da chave ao fio do pino 9 para evitar algum problema no Atari. Assim, simples e eficiente!

Soldas feitas!

Depois de soldados todos os fios é hora de isolá-los com fita isolante para evitar algum curto-circuito acidental. Os fios do cabo não usados devem ser isolados também. Para evitar um emaranhado de fios podemos prendê-los juntos com cinta lacre, barbante, arame encapado para embalagens, fita isolante... O Macagnan usou uma técnica mista: encapou uma parte com fita isolante e depois prendeu com o tal arame encapado (vulgo arame de fechar saquinho de pão fatiado):

Fiação bem presa, não vai ter problema de quebra de fio.

Feitos os dois controles, ficaram assim arranjados na parte interior:

Controles 90% prontos!

Antes de fechar, o Macagnan testou os dois controles num Master System com Alex Kidd na memória e tudo certo, inclusive a chave de seleção de console que, quando acionada para a posição Atari desativava e ativava o botão 2. Estando tudo certo, hora de fechar a tampa inferior. Mas...

Tem sempre um "mas" na história. O Macagnan pensou um pouco: "Deu um trabalhão danado fazer a pintura em MDF sem fundo, mas ficou brilhante. Se ficar assim, sem uma proteção o fundo vai riscar rápido e sem falar na chance de o controle escorregar se for apoiado em cima de uma superfície lisa. Por que não colocar uns pezinhos de borracha?

A ideia era boa mas onde conseguir tal artigo? O jeito foi improvisar: O Macagnan conseguiu algumas tampinhas de borracha de frascos de medicamentos injetáveis que foram devidamente lavados para que pudessem ser usados:

Pezinhos de borracha improvisados no melhor estilo McGyver...

Prontos os pezinhos, foi só atravessá-los com um parafuso e prendê-los aos cantos da caixa e mais dois parafusos para prender bem a tampa inferior:

Prontos para serem usados

Feito isto, assim se apresentou a parte inferior:

Agora sim, tudo pronto!

Tudo pronto! Agora já temos controles e um console para usar. O Macagnan esqueceu de tirar uma foto do console finalizado mas, para não passar em branco, digamos que ele ficou assim com o cabo e o conector DB9 saindo pela parte da frente, rente à tampa inferior:


Depois de uns dias, o Macagnan percebeu que o verniz apesar de seco ainda estava "agarrando" nas mãos sem deixar resíduos. Para eliminar esta sensação desagradável, o Macagnan usou uma solução simples e eficiente: aplicou cera automotiva nas faces pintadas e acabou-se o problema! Restou apenas comentar que o controle ficou um pouco barulhento quando se apertavam os botões, fato este que o Macagnan descobriu que ocorria porque a lâmina de MDF era fina e não amortecia bem o barulho dos botões sendo acionados, o que não deve ocorrer com uma lâmina de madeira mais grossa.

E assim termina mais um projeto do Macagnan. Agora, resta terminar a reforma do Atari e se esbaldar de jogar!

Bom, pessoal. Por hoje é só! Feliz 2015 a todos e até a próxima!
Google+