terça-feira, 16 de dezembro de 2014

E o projetinho vai bem, até mesmo em dezembro...

E lá vamos nós em dezembro para o terceiro capítulo da saga "Projetos do Macagnan". Será que este vai chegar ao fim?

Bom, o Macagnan adquiriu, neste intervalo de tempo, os botões (usados mesmo, a crise tá feia...) que faltavam e mais alguns sobressalentes a um preço justo no Mercado Livre:

Já devidamente lavados, secos e com os fios soldados
Os botões foram devidamente desmontados, lavados, secos, remontados e os fios foram soldados onde deveriam ser. A desmontagem e remontagem de um desses botões pode virar um passo-a-passo um dia desses (é só o pessoal pedir nos comentários que o Macagnan faz...). Os furos  para os botões foram feitos com uma serra-copo na medida mais próxima do corpo do botão com o mínimo de folga (o Macagnan não se lembrou de anotar a medida) e o furo para passagem do joystick foi feito com outra serra-copo do tamanho aproximado da "cabeça" do joystick (novamente o Macagnan não se lembrou de anotar a medida). Os furos para fixação foram feitos inicialmente com uma broca de 6 mm e depois receberam cortes quadrados no MDF para acomodar parafusos franceses (aqueles usados em madeira, de cabeça lisa e com um ressalto quadrado debaixo da cabeça):

Parafuso francês. Fonte: Mont Magno Fixadores
O Macagnan também conseguiu as chaves liga-desliga para seleção do console. A furação foi feita com uma serra-copo exatamente do tamanho do corpo da chave (adivinhem... o Macagnan também não anotou essa medida...) e o furo foi feito mais ou menos no centro da lateral. Devido a um erro de cálculo, a medida das peças das laterais ficou maior que o devido e o Macagnan posteriormente serrou o excesso para que a caixa realmente ficasse com 20 x 35 cm.

A chave e o seu lugar. A área marcada a lápis foi cortada posteriormente nas quatro peças.
Um "close" no botão nos mostra como é feita a fixação do mesmo: a porca plástica preta é desenroscada do corpo do botão. Depois de colocado no furo, a porca plástica volta a ser enroscada e apertada com força e cuidado para que o botão fique firme e não se solte durante o uso.

Olha o botão aí gente!
Uma dica que o Macagnan deixa aqui é o meio mais fácil de desmontar e montar os microswitchs: desmonte o conjunto iniciando pela trava mais alta para liberar parte do microswitch, girando-o e depois liberando a trava mais baixa. Para remontar faça o contrário: comece pela trava mais baixa, gire e prenda na trava mais alta.

A marcação para o joystick foi feita deixando-se cerca de cinco centímetros livres à esquerda e acima da tampa superior. Foram marcados os pontos de furação dos parafusos e depois foi traçada uma linha unindo dois pontos de furação na diagonal. No ponto onde as duas linhas se cruzaram foi marcado o centro para a furação da passagem do joystick com uma serra-copo (mais tarde o Macagnan teve que fazer uns ajustes nos furos dos parafusos para acertar o encaixe).

O lugar para o joystick já está definido
Os botões... estes foram uma parte do projeto que mais exigiu tempo para ser definido (cerca de quinze minutos de raciocínio e simulação) mas saiu "sob medida". Sabendo-se que os botões devem ser instalados de forma que sejam facilmente acessados pelos dedos e que o uso não provoque cansaço na mão, o Macagnan usou sua própria mão para definir a posição ideal dos botões, a área reservada para o apoio da mão e o posicionamento da mão durante o jogo:

Ergonômico  (ao menos para o Macagnan)...

Feitas as furações, é hora de montar as caixas, cuidando para não colar nenhuma peça errada ou trocada (o Macagnan se distraiu e colou uma tampa virada e teve que desfazer ligeiro antes que a cola secasse em definitivo). Neste ponto da montagem foi usado cola madeira em quantidade generosa, pregos finos e quatro pedaços de madeira mais grossos nos cantos para dar mais resistência aos mesmos. Não foi esquecido de passar cola madeira inclusive nas partes onde iria ser pregado o tampo superior. Veja o resultado:

Caixas devidamente montadas. A de baixo traz as marcas da colagem errada.

No interior também foi utilizado cola generosamente para que nada viesse a desmontar durante o uso:

Pra garantir a firmeza, não dá pra economizar na cola...
Depois de prontas, hora de pintar afinal o Macagnan não iria deixar o controle assim, no MDF puro. E, que cor mais indicada do que a preta, cor da maioria dos arcades. A tinta escolhida foi a tinta a óleo preta brilhante dissolvida em AGUARRÁS ao invés de thinner. O Macagnan tentou pintar diretamente com a tinta diluída sobre o MDF porém este absorveu rapidamente a tinta e não ficou como o Macagnan queria. No dia seguinte, uma mão de tinta mais grossa e menos diluída e assim sucessivamente até ficar como o Macagnan queria (depois de aproximadamente quatro mãos grossas, depois de  pronta o Macagnan ficou sabendo que existiam fundos para aplicação no MDF para que a primeira mão não fosse "abduzida" tão rapidamente assim). Assim ficaram na cor preta brilhante:

Apesar do Macagnan não ter prática em marcenaria até que ficaram boas!

As tampas inferiores, que fecharão a caixa também receberam o mesmo "tratamento de beleza":

Vão ficar no fundo mas merecem o mesmo capricho da caixa...

Depois de prontas as caixas, o Macagnan olhou, olhou, olhou e achou que estava faltando algo. Tinha algo de errado, estava faltando uma identidade, uma característica  nestes controles. Olhou para a área de apoio da mão e pareceu desagradável toda aquela área em preto. Uma ideia maluca passou pela cabeça do Macagnan: "E se tivesse um desenho, alguma figura colorida ali naquele espaço preto?". A ideia era boa mas o Macagnan e péssimo em pintura. A alternativa era conseguir um adesivo com o desenho desejado, colar na tampa e envernizar para não sair do lugar nem começar a desbeiçar. Mas o que usar ali?

Sem querer o Macagnan lembrou-se de um filme que assistira duas vezes na Globo, chamado "O último guerreiro das estrelas" e de uma máquina arcade que aparece no filme com uma figura interessante nas laterais:


Neste link tem um pouco mais sobre este excelente filme da década de 80 que vale a pena ser visto novamente. A cena do filme que inspirou o Macagnan foi esta:

Devidamente "chupinhada" de 01Pordia
Como não havia tempo hábil nem quem fizesse tal adesivo em plástico, o jeito foi apelar para duas folhas de papel adesivo da Pimaco e imprimir numa impressora laser colorida (para não correr o risco de imprimir em uma jato de tinta e depois borrar o desenho ao envernizar). Feito o adesivo, recortado com uma tesoura, ei-lo aí:

Adesivos prontos para uso

Aproveitando umas sobras do papel adesivo, o Macagnan fez a etiqueta que vai na chave seletora de console, caprichando nas imagens:

Assim fica mais fácil saber para que console o controle está configurado.

Observem que, no lugar do nome "Master System" o Macagnan utilizou o logotipo da SEGA já que esta é a desenvolvedora deste console e o Master System não possui um logotipo seu. Este círculo cortado em seis partes vai encaixado no buraco da lateral do controle:

Próximo ao seu lugar definitivo

O Macagnan também definiu a posição do adesivo maior:

Vai ficar interessante...

Bom, instalamos os adesivos:

A chave foi fixada posteriormente neste lugar onde foi colada a etiqueta.
A tampa superior foi adesivada também.

Colados os adesivos, faltou abrir os buracos para a passagem dos botões na tampa superior. Para isso o Macagnan utilizou de uma ferramenta de alta tecnologia:

Corte preciso? Mais ou menos mas funcionou!

Usando-se um estilete pela parte interna da caixa do controle, abriram-se dois rasgos em cruz com cuidado para não danificar a parte que está sobre a tampa. Depois, pelo outro lado, foram dobrados estes cortes e  ajeitados com o dedo para que o furo dos botões ficasse o mais perfeito possível:

Furo dos botões devidamente decorado e preparado
O Macagnan não se aguentou de curiosidade para ver como ficariam os botões instalados e, usando dois como modelo:

Os botões no seu devido lugar
O passo seguinte foi determinar em que ponto a chave liga-desliga desligaria o pino 9 no caso de ser selecionado o console Atari. Mais um trabalho para o super multitester:

Marcação para não esquecer quem vai onde
Feitos os testes de continuidade com o multímetro (um Minipa ET-1002) só restou marcar a posição onde a chave interrompe a passagem de corrente para instalar na posição correta. Para facilitar, a posição em que a chave apresenta resistência infinita é a posição "Atari".

Após passar um bom tempo lutando com os buracos dos parafusos do joystick o Macagnan teve o seguinte resultado:

Quase pronto!!!

Chave já posicionada

Observem que o adesivo absorveu bastante o verniz, porém deu um toque "retrô" no controle. Fica a dica: Se quer um adesivo bem bonito, mande-o fazer com plastico e não com papel.

Porcas e parafusos devidamente apertados, agora falta pouco para o projeto do Macagnan ficar pronto. Vem aí a a parte eletrônica, que é soldar os fios no cabo 9 vias, fechar a tampa inferior e pronto...

Bom, pessoal! Por hoje é só, até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Google+