quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Sete de Setembro - ainda lembramos o real significado?

Responda rápido: o que se comemora em sete de setembro? Se você respondeu sem piscar "Independência do Brasil", provavelmente deve ter prestado atenção às aulas de História (e não só na professora bonita, hehehe...) ou, como o Macagnan, já assistiu aulas de EMC (Educação Moral e Cívica) e OSPB (Organização Social e Política do Brasil) no ensino fundamental.

Que a história de que o Brasil libertou-se de Portugal com o grito de Independência dado por Dom Pedro I não é bem como contado nos livros da escola todos sabem. Não vou entrar aqui nos detalhes pois tem muito material na Internet e nos livros para quem se interessar. 

O ponto central desta postagem é um questionamento: estamos deixando de ser brasileiros, nos tornando passivos com o que desfigura nossas características, deixando de bradar, heroicamente se necessário, pela defesa da nossa cultura, dos nossos valores e da nossa moral? Vejam por exemplo a constante reclamação das pessoas quanto aos seus representantes políticos. Entra gente nova, sai gente velha e sempre está se ouvindo queixas do tipo: "fulano é corrupto, sicrano roubou, beltrano pintou e bordou"... PERA LÁ! SERÁ QUE ENTÃO TODO MUNDO NÃO PRESTA? Será que o Brasil se tornou uma pátria de corruptos, inescrupulosos e imorais? Ou será que adquirimos MANIA DE RECLAMAR DE TUDO E DE TODOS? Friso aqui a palavra MANIA. É tão fácil criticar, falar que está errado, muitas vezes sem saber realmente do que se está falando, muitas vezes por comodismo (Preguiça de pensar), outras vezes por descrença, ou  até por pura repetição inconsciente (de ouvirmos repetidas vezes algo, acabamos por repetir inconscientemente a mesma coisa). Falar de moral no Brasil tornou-se difícil pois o assunto tornou-se extremamente fragmentado, balizado em experiências pessoais e não em valores comuns. Civismo então, fica difícil explicar em termos de fácil compreensão. E também não cabe aqui a ideia de que o ensino no Brasil é ruim e que a criança não aprende valores na escola. Os valores começam a ser aprendidos em casa, espelhados no exemplo dos pais. Na escola somente se consolidam como valores sociais.

Uma coisa que deixou o Macagnan "P" da vida foi essa imagem abaixo, escaneada de um rótulo de um produto de higiene pessoal produzido no Brasil por uma empresa multinacional:

Clique para aumentar a figura
Vejam bem, é um produto fabricado aqui no Brasil, bem destacado na última linha em maiúsculas: "INDÚSTRIA BRASILEIRA". Agora, veja a afronta gritante na composição do produto: Além dos componentes estarem grafados em sua nomenclatura técnica, a mesma está em... inglês! Ora, pombas! Eu sou brasileiro e espero que o que eu adquira em meu país esteja em minha língua natal, pois sou consumidor brasileiro e não engenheiro químico americano! E mais: como o consumidor vai saber se algum determinado produto lhe é alérgeno? Sim, pois existem pessoas que são alérgicas a determinados produtos. Com um rótulo desses, que consumidor vai saber? Ou será que estão nos chamando de "burros" com todo o pseudo-glamour de uma língua estrangeira? (Aqui o indignômetro do Macagnan já chega à faixa vermelha...). Onde fica a clareza dos rótulos? Responda quem puder...

Já neste outro rótulo, de uma empresa nacional, veja a diferença:

Clique para aumentar a figura
Pelo menos aqui o Macagnan entende o que está escrito. Da próxima vez em que for ao mercado, caro leitor, observe os rótulos e tire suas conclusões...

Viram como é difícil ser brasileiro? Ufa! Acho que seria mais fácil se a presidente Dilma Roussef reinserisse como matérias obrigatórias no currículo escolar as matérias EMC e OSPB (vide início da postagem).

Para encerrar, um vídeo no Youtube com uma música da época da Ditadura Militar que o Macagnan ouvia quando era criança (afinal de contas o Macagnan nasceu em 1976) e que representa um Brasil em que todos nós gostaríamos de viver:


Bom, pessoal. Por hoje é só! Até a próxima!

Um comentário:

Google+