quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Começou... de novo!

Vai começar tudo outra vez....
Aaaahhhh! Que preguiça... Começou outro ano de novo! E lá vamos nós outra vez: Carnaval, Páscoa, Dia do Trabalho, férias escolares, Sete de Setembro, Proclamação da República e quando se vê já é Natal de novo!

Uns tempos atrás, fuçando pela net acabei encontrando um blog interessante: o blog do Armindo Macagnan, que falava sobre a história de Silvestro Macagnan e Anna Vigne. Peraí, para tudo! São meus tataravôs!

Tive a oportunidade de conhecer o Armindo lá pelo ano 2000 ou um pouco antes. Nesta época estava trabalhando em Porto Alegre e morava na rua Luiz Afonso, quase esquina com a Avenida General Lima e Silva. Lá perto, na rua Baronesa do Gravataí, morava com seus irmãos e irmã o Edécio, que era Guerra de sobrenome mas sua mãe era Macagnan (dona Alzemira, se não me engano) quando solteira. Ficamos sabendo que éramos parentes quando acabamos trabalhando na mesma empresa, na época.

Mas o Armindo entrou nesta história quando o Edécio resolveu juntar material para um vídeo comemorativo aos dez anos de falecimento de sua mãe. Lembro-me de termos ido a Progresso (RS) , mais especificamente a Vila Fão a bordo de uma Chevrolet Pampa munidos, eu com uma câmera fotográfica (Zenith 12 XP, que saudades...) e o Armindo com uma filmadora profissional (não lembro o modelo e marca...). Fomos colher imagens e fotos (detalhe: a câmera não é digital, portanto as fotos iriam ser reveladas e escaneadas, naquela época câmeras digitais eram caríssimas!) e conheci vários outros Macagnan residentes aí.

Depois deste breve contato, acabei voltando para Cravinhos (SP), perdi o contato com o Armindo e o Edécio. Tempos depois voltei para Nova Bréscia (RS) e daí a história volta ao terceiro parágrafo desta postagem.

Silvestro Macagnan e sua esposa Anna Vigne, em pintura a óleo.
E exatamente nesta data (19 de janeiro de 2012), dou de cara com um documento precioso encontrado pelo Armindo: o documento registrando a chegada ao Brasil de Silvestro Macagnan, o tataravô do Macagnan, do irmão do Macagnan, bisavô do tio do Macagnan (ê família grande!).

Pelo pouco que sei, os Macagnan tem sua origem na Itália, provavelmente na região norte e, antes disso, meu pai contava que a família tinha raízes na França, em Lyon, de onde vieram fugidos de alguma perseguição ou fugindo da miséria (não me recordo mais ao certo). Ao chegar no Brasil, há uma história de uma Macagnan que perdeu-se da família, que veio para o Rio Grande do Sul e nunca mais tiveram notícia da mesma.

Quem quiser conhecer um pouco mais sobre esta história pode e deve deve visitar o blog do Armindo Macagnan. E se puder contribuir para a reconstituição da história da nossa família, ficamos MUITO FELIZES!

Bom, pessoal, por hoje é só! Até a próxima!

PS.: Para quem não conheceu, o pai do Macagnan era este aqui

Um comentário:

  1. Ola Ricardo!
    Tenho mais material sobre a Anna Vigne, o batismo e a lista de passageiros do vapor que ela veio da Italia, via HAVRE(França). Vamos preservar a história de nossos antepassados. Meu email para contato: amacagnanrs@gmail.com

    ResponderExcluir

Google+