sábado, 6 de novembro de 2010

Levando ao pé da letra...

Demorou um pouco mas o Macagnan conseguiu postar algo novo. Ainda sem internet em casa, o jeito é aproveitar onde dá...

Faz tempo que tinha a ideia desta postagem mas agora deu certo. E o assunto da vez é...

Informática, prá variar... Mas não vai ser mais um post extremamente técnico, cheio de detalhes chatos. Desta vez vamos mostrar um pouco do lado humorístico da informática. Partindo do princípio que a maioria dos termos usados hoje em dia são em inglês ou derivados deste, vejam algumas coisas inusitadas:

SCREENSHOT


Do inglês "screen" (tela) e "shot" (disparo, tiro). Bem, ao pé da letra é mais ou menos assim como na foto mas no "informatiquês", screen shot ou screenshot é simplesmente a impressão de uma imagem capturada da tela do computador em um determinado momento. Existem vários programas que são capazes disso, alguns até são grátis (não precisa "comprar" o programa).

WINDOWS(r)


Do inglês "window" (janela). O nome comercial Windows foi registrado pela Microsoft Corp. inicialmente como uma interface gráfica depois tornando-se um sistema operacional amplamente difundido pelo mundo. O Macagnan supõe que era esta a intenção do Bill Gates e sua equipe de programadores: várias "janelas" abertas em uma mesma área visível para quem estivesse usando o computador.

PASTA ZIPADA


Em informática, pasta zipada não se trata de uma pasta com um zíper para fechá-la. Pasta se refere a um ou mais arquivos agrupados por critérios definidos pelo usuário do computador ou pelo programa que a criou. Zipado é um termo que indica que o arquivo foi compactado e teve seu tamanho reduzido em relação ao original. O termo Zipar vem de um compactador muito usado chamado Winzip, o qual criava arquivos compactados com a extensão .zip.

 MOUSE


Dizem que os gatos não aprendem informática por se distraírem constantemente com o "mouse". Piadas a parte, não há problema em segurar um "rato" na mão, porque "mouse" em inglês significa "rato". Quer saber de onde veio a inspiração para o nome? Segure seu mouse pelo cabo (a não ser que você esteja usando mouse sem fio) e note a semelhança com um rato pendurado pelo rabo. Se você não conhece a história do mouse, clique aqui. Ah, ia esquecendo, em Portugal diz-se "rato" mesmo!

FIREWALL


Do inglês "fire"  (fogo) e "wall" (parede), se houvesse um assim como na foto no seu computador, imagine o estrago! O firewall é um programa de computador que tem por função controlar o acesso ao seu computador por outros computadores, evitando assim (através da criação de regras para acesso) que invadam seu computador ou que programas indesejáveis se instalem nele (leia-se vírus e similares). Saiba mais sobre firewalls aqui.

DOWNLOAD


Do inglês "down" (descer, descarregar, para baixo) e "load" (peso, carga). Dependendo da velocidade da conexão da internet, do tamanho do arquivo e do computador usado, pode ser realmente pesado realizar um "download". Basicamente o download consiste em copiar um arquivo de um computador remoto e colá-lo no computador do usuário. A forma como é feito o download de um arquivo pode variar porque existem os chamados protocolos, que são conjuntos de regras e instruções que vão "ensinar" ao computador como ele deve fazer a cópia do arquivo. Alguns exemplos são: FTP (File Transfer Protocol) ou Protocolo de Transferência de Arquivos, transfere diretamente o arquivo do servidor onde está armazenado para o computador do usuário; P2P (peer-to-peer) ou transferência ponto a ponto, transfere o arquivo de um computador de um usuário para o computador de outro sem a necessidade de estar centralizado em um servidor (por exemplo os programas para baixar músicas como Ares, LimeWire, Emule e outros); HTTP (Hypertext Transfer Protocol) ou Protocolo de Transferência de Hipertexto, mais usado para exibição de páginas da Internet. Devem existir outros mas no momento o Macagnan não lembra. Popularmente o download também é chamado de "baixar um arquivo".

ARQUIVOS FRAGMENTADOS


No "informatiquês", arquivos fragmentados não são o conteúdo de pastas arquivos rasgados, picados, feitos em tirinhas. Arquivos fragmentados são simplesmente aquele documento de texto ou planilha ou até aquele joguinho que instalamos no computador e que foi gravado em partes espalhadas pelo disco rígido. Confuso, né? O Macagnan explica...



Dentro do disco rígido há um ou mais discos mais ou menos do tamanho de um CD feitos de metal coberto por uma camada magnética. Quando formatamos o disco rígido, nele são gravados trilhas (o que equivaleria às linhas de um caderno) e setores (o que equivaleria a um pedacinho da linha de um caderno). Sempre que possível, os arquivos são gravados utilizando-se setores próximos uns dos outros, fazendo com que todos os setores ocupados pelo arquivo esteja em sequencia. Às vezes são reescritos setores que pertenciam a arquivos que foram apagados e nem sempre os setores em sequencia são suficientes para gravar todo o arquivo. Quando isso acontece, o computador grava uma parte do arquivo em alguns setores e as outras partes em outros setores vagos, nem sempre muito próximos aos outros. Assim se dá a fragmentação de um arquivo. O lado bom disso é que fica pouco espaço livre sem ser usado no disco; o lado ruim é que o computador demora mais tempo para procurar os pedaços do arquivo que estão espalhados pelas trilhas e setores do disco fazendo com que o computador fique "lerdo". A solução para isso é um processo chamado desfragmentação, através do qual o computador tenta reagrupar o mais próximo possível os fragmentos dos arquivos. Aqui tem uma explicação mais aprofundada sobre desfragmentação.

Bom, pessoal. Por hoje é só! Até a próxima!
Google+