quinta-feira, 29 de abril de 2010

Os perigos que nos rondam (de novo)

Eu ia postar sobre outro assunto mas este acabou tomando o lugar. Na postagem anterior falou-se um pouco sobre segurança na Era Digital mas passou-se muito por cima do assunto. Ao receber um e-mail com um falso aviso de que havia problemas com o acesso a minha conta bancária achei que era hora de abordar um pouquinho mais a fundo dentro do pouco conhecimento que tenho nesta área.

Esta forma de roubo de senhas através do envio de páginas idênticas às originais porém com links totalmente diferentes dos esperados é muito comum, assim como as já tradicionais mensagens vindas de "órgãos governamentais" e "entidades confiáveis" que recebemos.

Relato aqui um caso que aconteceu comigo: uma certa vez recebi um e-mail dizendo que meu CPF estava suspenso na Receita Federal por erros na Declaração de Imposto de Renda. Comecei a analisar melhor o e-mail e algumas "coisas" me chamaram a atenção:

  1. Havia muitos erros de português no texto do e-mail, o que é imperdoável para uma instituição como a Receita Federal. Certamente eles têm revisores competentes que não deixariam passar erros muitas vezes gritantes de grafia.
  2. O e-mail dizia que minha Declaração de Imposto de Renda tinha problemas. Mas eu era isento de declaração de Imposto de Renda.
  3. O e-mail solicitava número do meu CPF, da minha Carteira de Identidade e TÍTULO DE ELEITOR. Ora, a Receita Federal não tem nenhuma ligação direta com o Tribunal Superior Eleitoral, então porque queriam saber o número de meu Título Eleitoral?
  4. Conferindo a situação do meu CPF no site da Receita Federal, o mesmo se encontrava em ordem.
  5.  No e-mail havia um link para realizar a correção da situação, para enviar os dados "pedidos" (hehehe...me engana que eu gosto!)
Então, sabem o que fiz? MANDEI O E-MAIL PARA A LIXEIRA!

Outro caso que peguei para resolver foi o de uma colega de trabalho, correntista de um banco, que recebeu um suposto e-mail do banco oferecendo facilidades via Internet. Daí para o clique no link "suspeito" foi um piscar de olhos. Daí para frente... a tal "página do banco" não fechava mais no navegador, nem reiniciando o computador; o teclado virtual da página não funcionava e etc... No "Gerenciador de Tarefas do Windows" (o popular "Control+Alt+Del), aparecia na aba "Processos" um processo com o nome do banco (nome_do_banco.exe) que não se permitia ser encerrado. Para resolver isto, localizei a pasta em que o arquivo se encontrava e anotei o caminho. Reiniciei o computador e entrei em "Modo de segurança" (eu sabia que isso ia ser útil um dia!). fui até a pasta e deletei o arquivo, eliminei as referências a ele no registro do Windows (leia-se Regedit, só use se realmente souber o que está fazendo!), dei uma conferida na inicialização do Windows para remover alguma referência a ele (e viva o Msconfig, aba "Inicializar") e foi-se o arquivo indesejado. Agora, quanto aos dados, não sei...

Outro caso "velho conhecido" meu, um arquivo de nome CSRCS.EXE (exatamente assim). Esse danado deixa a conexão com a internet lerda pois envia sabe-se lá o que do micro infectado para um servidor desconhecido. Mas cuidado, existe um arquivo legítimo de grafia semelhante, CSRSS.EXE que é um arquivo de sistema. Na maioria das vezes deletar o arquivo em modo de segurança e eliminar os rastros do registro e da inicialização do Windows (r) costuma resolver.

Mas o mais importante é jamais dar margem a dúvidas quanto à veracidade ou não de algum e-mail ou programa que tenta se instalar sem nosso conhecimento. Manter sempre atualizado um antivírus de confiança mas mesmo asim, sempre lembrar que não existe antivírus perfeito. Algum vírus vai enganar o seu antivírus um dia, isto é certo e acontece com todos eles. Na dúvida, não prossiga com o que está fazendo. Busque informação; esta é a melhor arma contra os "alheios virtuais".

Bom, pessoal, por hoje é só! Até a próxima!

PS: para relaxar um pouco, o Macagnan recomenda o vídeo abaixo:



quinta-feira, 22 de abril de 2010

Os perigos que nos rondam

Que os perigos existem é indiscutível. Desde a época das cavernas que o homem tem procurado se defender de seus semelhantes, defender suas posses do "alheio". Passando pela Idade Média até os dias de hoje, a palavra "segurança" é presença constante em nosso vocabulário. Criaram-se mecanismos para garantir a integridade da propriedade individual ou coletiva. Com o nascimento da Era da Informática, o conceito de segurança teve de ser revisto pois já não mais se ameaçava a propriedade física. Surgiu a necessidade de se proteger aquilo que não se pode roubar fisicamente, não se pode pegar com as mãos (ou com os pés, se for um macaquinho ensinado...).


E como para cada progresso de um lado se segue um progresso de outro, ao mesmo tempo em que se desenvolvem novos meios de proteger, se desenvolvem novos meios para "derrubar" esta nova proteção, usando-se inclusive de meios que se aproveitam de certos estados de espírito ou situações da vítima.

Recentemente recebi um e-mail relatando dois modos pelos quais muita gente já teve sua segurança ameaçada. Transcrevo-os aqui para que sirvam de alerta a todos e, se puderem, repassem a todos:

"CUIDADO em BARES, RESTAURANTES, IGREJAS  e outros locais de encontros coletivos.

Vejam: Você e seus amigos ou familiares estão num bar ou restaurante, batendo papo e se divertindo. De repente chega um indivíduo e pergunta de quem é o carro tal, com placa tal, estacionado na rua tal, solicitando que o proprietário dê um pulinho  lá fora para manobrar o carro, que está dificultando a saída de outro carro. Você, bastante solícito vai, e ao chegar até o seu carro, anunciam o assalto e levam seu carro e seus pertences, e ainda terá sorte se não levar um tiro... 
Numa mesma noite, o resgate da Polícia Militar atendeu a três pessoas baleadas, todas envolvidas no mesmo tipo de história. O jeito, em caso semelhante é ir acompanhado! Chame alguns amigos para ir junto, e de longe verifique se é verdade.

Isto também pode acontecer, quando se está na igreja, supermercado ou em outros locais de encontros coletivos.

 NOVA MODALIDADE DE ASSALTOS A VEÍCULOS
Imagine que você vai para o seu carro que deixou estacionado bonitinho, abre a porta, entra, tranca as portas para ficar em segurança e liga o motor. Você não faz sempre assim?  Entretanto, olhando pelo espelho interno, você vê uma folha de papel no vidro traseiro, que te bloqueia a visão. Então, naturalmente, xingando quem colocou um maldito anúncio no seu vidro traseiro, você põe o carro em ponto morto, puxa o freio de mão, abre a porta e sai do carro para tirar o maldito papel, ou o que seja que esteja bloqueando a sua visão.
Quando chega na parte de trás, aparece o ladrão, vindo do nada, te rende, entra e leva o seu automóvel com a chave na ignição, o motor que estava ligado (se tiver bloqueador já vai estar liberado), com a sua carteira, documentos e o que mais houver lá. Assim, se houver alguma coisa bloqueando a sua visão, não desça do carro. Arranque o seu veículo usando os espelhos retrovisores externos, espere e desça em outro local, mais à frente, com total segurança" (Nota do Macagnan: ou então use o sistema antirroubo da foto, para garantir...)

E isso é apenas uma pequena amostra da criatividade dos "alheios". Se você sabe de algum outro método, descreva nos "Comentários".

Bom, pessoal, por hoje é só. Até o próximo!

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Fones de ouvido: cada um no seu...

Bom, o Macagnan anda numa temporada de "vacas magras" de ideias para postagem... A "situation" tá "black"! Deve ser algo como um bloqueio temporário.
Por absoluta falta de inspiração (e por não ser obrigado a escutar o áudio das novelas da emissora do plim-plim) eis que o Macagnan pega o seu fone velho de guerra (um Philips SBC HL140), pluga no note, joga uma pasta inteira no playlist do Windows Media Player e entra no Blogger. Ei, espere aí, por que não falar a respeito os fones de ouvido?

Fones de ouvido são, em uma definição mais simplória, uma miniatura de alto-falante destinados ao uso pessoal. Existem vários tipos de fones de ouvido, podendo ser classificados pelos materiais e meios de fabricação, pelo modelo, pela sua faixa de frequências e várias outras variáveis. Sempre fui fã de fones de ouvido e, portanto, é com prazer que falo sobre isso.

Basicamente, os fones são formados por uma ou mais cápsulas ligadas a um par de fios cada, através dos quais chegam os sinais elétricos correspondentes aos sons gerados por um aparelho (rádio, toca-fitas, toca-CDs, MP3, MP4, telefones, etc...). Vejamos alguns tipos de cápsulas mais comumente encontradas:
  • Cápsula piezoelétrica: formada por uma lâmina de cristal (natural ou produzida por processos de fabricação diversos), alimentada por um sinal elétrico proveniente de um aparelho sonoro. Ao receber os sinais elétricos, a lâmina sofre várias "deformações" que irão criar ondas sonoras, reproduzindo o som original. É comum encontrarmos transdutores especiais chamados "tweeters" que se utilizam desta tecnologia. Se utilizada de forma contrária, recebendo sinais sonoros e ligada a um aparelho eletrônico capaz de registrar variações do sinal elétrico, ao "deformar-se" pelo impacto das ondas sonoras, transforma-se em um microfone.

  • Cápsula dinâmica: formada por uma estrutura que recebe um imã, geralmente de forma circular, ao seu redor (mas não presa a ele) uma bobina formada por uma grande quantidade de espiras (voltas) de fio de cobre presa a uma superfície de tamanho e composição variável (o diafragma). Ao receber os sinais elétricos, aumenta ou diminui a intensidade do campo magnético que é gerado na bobina e conforme essa variação, a bobina se afasta mais ou menos do ímã fixo. Ao fazer isso, a bobina movimenta com mais ou menos "força" o diafragma, o que cria ondas sonoras iguais ao som original. Da mesma forma que as cápsulas piezoelétricas, quando usadas em conjunto com circuitos eletrônicos adequados, podem ser usadas como microfones. 
Existem outros tipos de cápsulas mas são menos comuns, outras até estão em desuso como por exemplo a cápsula de carvão, praticamente abolida pelo seu alto nível de ruído de fundo.

Quanto aos modelos, os fones classificam-se basicamente em:

  • Auriculares: fones de pequena dimensão, encaixados na entrada do pavilhão auricular (canal do ouvido), encontrados em quase todos os lugares.
  • Intra-auriculares: fones de pequena dimensão, encaixados dentro do pavilhão auricular, possuindo ponteiras de material capaz de isolar boa parte dos ruídos do ambiente.
  • Headset: fones de dimensões maiores, geralmente montados em arcos, ficam sobre as orelhas ou até as cobrem, quando se deseja isolar os ruídos do ambiente. Alguns modelos possuem um microfone de eletreto agregado à sua estrutura.

 Mas o que realmente influenciará na qualidade de um fone de ouvido, na minha opinião, são os seguintes fatores:
  1. Qualidade dos materiais: tente imaginar a qualidade do som gerado por uma cápsula fabricada com materiais "genéricos" como muitos fones "made in China" e o som gerado por uma cápsula fabricada com materiais que foram fruto de pesquisas e experiências em laboratórios.
  2. Diâmetro do diafragma: Um diafragma de maior área terá mais capacidade de reproduzir sons mais graves e por consequência, adicionar mais qualidade sonora e definição do que um diafragma de pequenas dimensões.
  3. A faixa de frequências que as cápsulas que compõe o fone são capazes de reproduzir: Quanto mais próximas das frequências de 20 Hertz e 20.000 Hertz (os limites mínimos e máximos da audição humana), maior fidelidade (a qualidade do som reproduzido será praticamente idêntica ao som original).
  4. Ressonância: Uma cápsula com diafragma de maior área terá a cavidade da orelha para funcionar como uma "caixa acústica", criando uma sensação de "espacialidade" do som, ao contrário das cápsulas com diafragma de menor área que necessitarão de outras formas para criar a mesma sensação.
  5. Isolamento acústico: Não importando o tamanho do diafragma, se houver a passagem do som do ambiente, a percepção do som diminuirá, por mais qualidade que este tenha.
O Macagnan, particularmente, não é fã dos fones auriculares e intra-auriculares. Salvo exceções (fones do tipo profissional), estes tipos possuem diafragma de tamanho reduzido, o que dificultam a reprodução adequada de sons graves e isso acaba acentuando a reprodução de sons mais agudos, podendo levar a irritação auditiva e, em casos de uso prolongado e com volume excessivo, à surdez. Estes tipos de fones podem causar também desconforto nas orelhas se usados por um período prolongado devido ao modo como é fixado. Resta-nos os headsets, que são os modelos preferidos do Macagnan. Nestes modelos, como o diafragma é maior, tem-se uma melhor definição dos sons, principalmente os graves. Neste tipo de fones é que podemos sentir com maior clareza a questão da qualidade dos materiais empregados na fabricação do diafragma. Se puder, não caia na tentação de comprar aquele fone "baratinho", peça para ouvir alguma coisa nele (nem que seja uma estação de rádio) antes de fechar negócio. Muitas vezes o que parece ser um fone de qualidade acaba se tornando uma "bomba" para os ouvidos. Pode parecer propaganda da marca mas o Macagnan tem uma filosofia quanto a fones: preferência disparada pela marca Philips sem desmerecer as demais consagradas e já conhecidas marcas como Pioneer, Behringer, Koss, Shure...

O Macagnan indica, por experiência própria:
Bom, pessoal, por hoje é só! Até a próxima e não esqueçam: fone ruim e volume em excesso causam surdez. Comentem, dêem suas opiniões à vontade!

sexta-feira, 9 de abril de 2010

M. U. P. I.

Ahan, ficou com curiosidade de saber o que é M. U. P. I.? O Macagnan promete que no fim do post explica.

Tem vezes que a Matemática não segue a lógica. Quer ver? Imaginemos a seguinte situação: Você foi caçar e de repente vê dez pássaros em um galho de árvore. De um tiro, mata três passarinhos. Quantos ficam?

Vejamos o que diz a Matemática:
10 passarinhos no galho menos 3 mortos igual a sete pássaros. Então ficaram sete pássaros, não é? 10 - 3 = 7

Até aqui tudo certo mas, vejamos agora pela lógica: Sabe-se que a qualquer ruído estranho os pássaros tem a tendência de se afastarem do local onde estão por precaução. Então, pela lógica, se atirarmos, os outro sete passarinhos, assustados pelo barulho do tiro vão embora e ficam somente os três que foram alvejados.

Agora, falando sério, aconteceram algumas modificações no Blog:
  • O cabeçalho ganhou um banner mais vistoso. Ainda não é como o Macagnan gostaria mas um dia chego lá;
  • A Pesquisa agora funciona mesmo: com o nome de "Procuro...", os resultados aparecem acima da postagem. Para fechar a Pesquisa, clique no "X" à direita, logo depois de "A Web";
  • O feedburner está mais visível e traz aleatoriamente o título das postagens já existentes no Blog;
  • O Parlatório Virtual foi removido da página principal e substituido por um mural de recados na página "Deixe sua mensagem";
  • Agora existe a possibilidade de criar páginas além da primeira no Blog;
  • Tem um novo item chamado "O Macagnan segue:" na coluna da direita que mostra os últimos posts dos blogs que o Macagnan segue;
  • A página de comentários sofreu alteração.
E o novo blog que o Macagnan acompanha? o Blog da Dani, recém nascido!

Bom, pessoal, até o próximo! Êpa, faltou uma coisa: revelar o que significa M.U.P.I. 
 
Descobriu? Para aqueles que descobriram, parabéns! E para quem não descobriu, M.U.P.I. pode ser "Mais Um Post Inútil"! Porém o significado correto de MUPI é este: "«Mupi» é o acrónimo de «mobiliário urbano para informação». São os expositores, iluminados, de publicidade que vemos espalhados pelas nossas cidades, ultimamente providos de um motor para mostrar mais do que um anúncio.", segundo o blog Assim mesmo.

Agora, sim, até o próximo, pessoal!

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Um dia de fúria

Ultimamente tenho assistido muito pouca televisão. Não tem muita coisa que se preste para ser vista. E a cada vez que ligamos o aparelho de TV acabamos assistindo cada coisa que, ao menos a mim, deixa qualquer um com uma irritação imensa (em outras palavaras, MUITA RAIVA)! Quer um exemplo? Dois dias atrás (30 de março de 2010) terminou a edição número 10 do programa Big Brother Brasil exibida pela Rede Globo. A intenção é de passar aos espectadores como é a rotina de uma casa em tempo real. Não me lembro exatamente em que data aconteceu mas me chamou a atenção o acontecido:

Foram ao ar algumas cenas em que alguns Brothers comentavam alguma coisa sobre seguir um script dentro da casa, insinuando que o comportamento lá tinha suas "regras ocultas", um script a ser seguido. Lembro-me ainda de ter visto o apresentador Pedro Bial visivelmente desconfortado com esta colocação e tentar disfarçar com alguma brincadeira este assunto. Até hoje me pergunto: será que era verdade aquilo para Pedro Bial tentar desviar tão rapidamente o assunto? E vamos combinar, além de se utilizar de muito sensacionalismo (lembra do caso dos "punzinhos" de uma das Sisters?), Bial flerta descaradamente com o lado feminino da casa. Dirão vocês que isto faz parte do seu trabalho mas, será esta uma atitude sadia para um pai de família que tem filhos? Veja na Wikipedia um pouco da vida dele e tire suas conclusões. A propósito, vocês nunca tiveram curiosidade de saber de onde veio a ideia do BBB?

Vamos agora ao caso Isabela Nardoni. Na Wikipedia há uma compilação muito boa de informações e notícias sobre este caso. Para quem não lembra, este foi o caso da menina que foi atirada do sexto andar do edifício onde morava com o pai e a madrasta e mexeu com os nervos do Brasil inteiro. Após quase dois anos finalmente os culpados foram condenados em primeira instância. E eu pergunto: e os outros casos de violência contra crianças que também foram notícia, alguém ouviu falar novamente? Sim, lembro-me de que ocorreu um caso similar ao de Isabela pouco tempo depois e não teve a mesma repercussão. O que nos leva à seguinte questão: O que havia de especial neste caso que chamou a atenção? A atrocidade do crime? Tenho minhas dúvidas, há tantos outros crimes contra crianças ainda mais brutais que sequer chegam a ser veiculados na imprensa regional. Quer outro exemplo? o caso João Hélio, do menino que foi arrastado pelo cinto de segurança que ficou do lado de fora do carro da família que acabara de ser assaltado. Alguém sabe o que aconteceu? Também na época falou-se muito na TV sobre o tipo de influência que notícias assim teriam sobre crianças, falou-se também em preservar-se as crianças deste tipo de assunto. Mas, como preservar se a todo momento, desde manhã até a noite pipocavam as notícias a respeito? Tenham santa paciência, estão achado que o Macagnan é trouxa! Como preservar as crianças da exposição destas notícias se não pararam de veiculá-las! Desse jeito só desligando a TV!

Mais recentemente, o caso das pulseiras coloridas: simples pulseiras de silicone usadas meramente como adornos têm se tornado grande perigo para quem as usa. Não por causa do material com que são feitas mas pela simbologia atribuida às cores das mesmas. Tudo por causa de um jogo chamado "SNAP", de origem inglesa, no qual o objetivo é o seguinte:  ao ser rompida uma pulseira, quem a rompeu tem o "direito" de receber a "retribuição" de acordo com o significado das cores.  Isto foi levado a público pelo jornal The Sun, junto com a descrição do significado de cada cor :


» Amarela – dar um abraço no rapaz;
» Laranja – significa uma “dentadinha do amor”;
» Roxa – já dá direito a um beijo com língua;
» Cor-de-rosa – a menina tem de lhe mostrar o seio;
» Vermelha – tem de lhe fazer uma lap dance (dança erótica);
» Azul – fazer sexo oral praticado pela menina;
» Verde – é a dos chupões no pescoço;
» Preta – significa fazer sexo com o rapaz que arrebentar a pulseira;
» Dourada – fazer todos citados acima ou sexo oral simultâneo;
» Listrada– sexo na posição “frango assado”;
» Grená – Sexo anal sem lubrificante;
» Transparente – sexo com parentes consanguíneos;
» Marrom – Sexo escatológico;



Quer isto seja um jogo ou não, já tem causado acontecimentos animalescos como este aqui.
O Macagnan pensa o seguinte: somente ACÉFALOS (não é justo que chamemos de pessoas) ou mal resolvidos sexualmente fazem-se valer deste jogo para conseguirem o que querem. Pessoas em sã consciência teriam mais criatividade para atingirem o mesmo objetivo. Quem se defende justificando um crime (ou mais de um) com essa ASNICE de códigos de cores das pulseiras tem mais é que ser julgado com toda rigorosidade possível e cumprir sua sentença em regime fechado. Por outro lado, é uma infeliz constatação de que este tipo de pessoa que comete estes atos não tem nenhum traço de caráter próprio, simplesmente vai na onda do que está na moda e não pensa nas consequencias de seus atos.

E a última de hoje vem de Brasília (para variar): o Governo Federal vai lançar campanha para incentivar o uso da camisinha e incentivar o exame de HIV para famílias de baixa renda beneficiárias do Programa Bolsa Família. Veja aqui, na página do Ministério do Desenvolvimento Social. O Macagnan pensa da seguinte maneira: em primeiro lugar, todos sabem que a Saúde Pública brasileira, apesar dos avanços, não consegue suprir por completo as necessidades de quem o procura (faltam verbas, médicos, medicações, recursos humanos para os atendimentos). Se não tem verba suficiente para isso, o que dirá de centenas, milhares de exames de HIV... E fica no ar a desagradável impressão que o Governo Federal não tem ideia de onde gastar verbas em algo mais necessário e fica investindo em algo que pode render-lhe votos, já que estamos em ano eleitoral (2010). Fica no ar também a impressão de que quem é beneficiário de Programas Sociais não tem capacidade para cuidar de si mesmo. Ou será que estou exagerando?

Bom, pessoal; por hoje é só. Até o próximo e Boa Páscoa!

Google+