quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Carnaval virtual

Ôba, lá se foi mais um carnaval! Deu pra perceber que não sou muito fã dessa festa popular brasileira mas o Macagnan não foi sempre assim. Quando criança adorava pular carnaval nos salões, ajuntar e jogar confete do chão, formar cordões com os amigos e amigas. Tempinho bom... Agora o Macagnan geralmente trabalha na época de carnaval e esse ano, pra ajudar, choveu pacas. Aí nem o próprio nem a senhora Macagnan puderam sair por aí (que chatice...).
 Daí o jeito foi apelar pro PinPix, né... Depois de feito o vídeo, fiquei pensando: "Será que tô gordinho como o Rei Momo?". Hehehe... será que começo um regiminho? Blá, passar vontade de comer... não, não sou masoquista.




Mas o carnaval já não é mais o que na minha opinião era para ser. Anualmente diminui o número de fantasiados, aumenta o número de "quase pelados". Máscaras, são poucos os que se veem usando. Na TV mesmo, mostra-se por exemplo, integrantes de escola de samba com os seios expostos, ou com os tais "tapa-sexo" cada vez tapando menos. Será que eu estou preso a um saudosismo inocente ou o clima de "oba-oba, agora pode tudo" está se espalhando?Já pensaram nas crianças? Elas, queira ou não estão expostas a isso. Felizmente, creio eu, ainda existem alguns lugares onde se pode curtir o carnaval com mais decência. O difícil é conseguir o endereço, mas que ainda existe, eu acredito que sim.

Pra compensar, o mano veio de moto visitar a família. Saiu de Gravataí (RS) com sol e chegou aqui com chuva numa CG 150. É, parece que esse ramo dos Macagnan foi contaminado pelo vírus do motociclismo... Tõ devendo pra ele um passeio com o pessoal que faz mototurismo. Um dia eu vou, deixa eu conseguir uma moto boa, grande e confortável.

Já não se fala tanto sobre o Haiti mas a ajuda para o Vale do Taquari, que é bom, até agora... É bem provável que a ajuda do Governo Federal chegue bem depois do carnaval. Enquanto isso as vítimas desta catástrofe têm que se virar, porque promessas e carnaval não matam a fome, não compram remédio, não dão conforto nem esperança. E viva a ajuda humanitária para o Haiti!

Bom, pessoal, por hoje é só. Até o próximo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Google+