quinta-feira, 29 de outubro de 2009

A sopa de pedra

(Conto Tradicional português recolhido por Teófilo Braga)

Bom, dessa vez a inspiração veio da amiga Dri Viaro e suas aventuras "emagretícias".

Lembrei-me dessa história que conheci quando tinha uns seis anos. Pesquisando na Internet, descobri que essa é uma especialidade portuguesa da região de Almeirim. Conta-se que aconteceu mais ou menos assim:

Em uma tarde chuvosa, um frade andava pelas ruas da cidade, molhado e faminto. Já cansado, resolveu bater em uma porta e pedir abrigo. Atendeu um casal de idosos simpáticos porém avarentos. E o velho inicia a conversa:

-Que desejas, ó frade?
-Ó senhor. Peço-vos que acolheis a um pobre frade faminto e com frio em vossa casa, pelo menos até a chuva passar.
-Podeis entrar e aquecer-te aos pés da lareira mas, já não temos mais almoço nesta hora em nossa casa. Mas, entrai, frade, saia da chuva!

O frade entrou, agradeceu a hospitalidade e ajeitou com muito carinho um saco de couro que trazia consigo. A velha não se conteve e perguntou-lhe:

-Frade, perdoe minha curiosidade mas, o que trazes neste saco?
-Neste saco? Trago uma pedra, minha boa senhora...
-E por que a trazes consigo, frade?
-Para fazer uma sopa de pedra sempre que tenha fome.

A velha, não acreditando muito no que ouvira, pergunta com uma expressão espantada e curiosa:

-Sopa de pedra? Nunca conheci nenhuma receita desse tipo, frade....
-Não conheceis sopa de pedra, minha boa senhora? Pois vos asseguro que é uma receita muito simples e deliciosa. Gostaríeis que eu vos ensinasse?
-Teria muito gosto em aprendê-la, frade!
-Pois bem, a ensinarei com muito gosto. Por favor, se pudesses me ceder um caldeirão com água e se me permitisse cozinhá-la em vosso fogão...
-Imediatamente, frade.

A velha vai buscar um caldeirão com água e chama o frade à cozinha:

-Frade, venha até a cozinha. Vosso caldeirão já está sobre o fogo.

O frade se dirige à cozinha, pede licença para usar a pia. Tira do saco de couro uma pedra mais ou menos do tamanho e formato de um ovo de galinha, lava-a cuidadosamente e coloca-a com cuidado dentro do caldeirão. Fica ao redor do fogo alguns minutos até a água ferver. Quando isto acontece, se dirige à velha e diz:

-Minha boa senhora, se pudéssemos acrescentar algumas hortaliças, garanto que ficaria uma sopa de pedra divina!

Ao ouvir isto, a velha pede ao marido que vá até a horta da casa buscar algumas hortaliças. Ele calça botas, coloca uma capa de chuva e vai à horta. Poucos minutos depois retorna com algumas folhas de couve, algumas batatas, cenouras, um repolho e algumas outras hortaliças. O frade pacientemente limpa e prepara as hortaliças, juntando-as à pedra dentro do caldeirão com água já fervente. Pede também um pouco de sal, que acrescenta à sopa. Neste tempo, a curiosidade do casal aumenta ainda mais. Passados alguns minutos, a sopa começa a epalhar um aroma bom pela cozinha. O frade pede ao casal:

-Se pudésseis me arranjar um pouquinho de toucinho para acrescentar à sopa, garanto-vos que ficaria esta sopa a melhor do mundo.

A velha saiu da cozinha e foi até a despensa de onde voltou com um pequeno pedaço de toucinho. Ao ver, o frade exclamou:

-Bendita seja! Agora sim esta será a melhor sopa de pedra do mundo!

Picou cuidadosamente o toucinho e acrescentou à sopa. A esta altura, o casal já estava com água na boca. Depois de longos minutos, o frade finalmente diz:

-Se pudessem arranjar um pouco de pão para acompanhar a sopa, teríamos uma sopa como outra no mundo jamais provaram, vos asseguro isto!

Sem demora o casal providenciou pão, pratos, talheres, arrumou a mesa. O frade trouxe o caldeirão com a sopa e todos provaram dela. Tinha um sabor inexplicável, um aroma delicioso... Após a refeição e um breve descanso, já enxuto e ao ver que a chuva havia parado, o frade se despede do casal, agradecendo pela acolhido quando a velha, ao olhar sobre a pia, vê a pedra que o frade ia esquecendo. Vai até a cozinha, pega a pedra e a traz ao frade, perguntando:

-E a pedra, frade?
-Ah, a pedra! Levo-a comigo sempre...
-Para quê?
-Para o caso de, em algum lugar, alguém negar-me uma esmola para acalmar a fome.

Bom, histórias a parte, achei em um blog português uma receita da famosa "sopa de pedra". Quem quiser saber, clique aqui.

Bom apetite, e até a próxima!

Um comentário:

Google+