quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Saudosista mas feliz!


E quem não é saudosista? Em maior ou menor grau todo mundo tem um pouquinho de saudosismo. Não que isso seja ruim, pois sempre é bom ter algo de bom para lembrar, isso traz um "gás" a mais quando estamos nos sentindo "perdidos de nós mesmos". Mas saudosismo em excesso pode prejudicar, alienar a pessoa da realidade e envolvê-la em seu mundo próprio.

Você lembra de uma música que marcou algum momento de sua vida e até hoje, sempre que pode, tenta escutá-la? Tem um filme que por algum motivo ficou marcado na sua vida e você vive procurando na locadora? Tem algum lugar que você gosta de ir somente para relembrar algum fato marcante acontecido com você? Então você é saudosista.

Geralmente temos uma certa timidez em assumir esse saudosismo perante outras pessoas. Às vezes temos a impressão de que nosso saudosismo pode se converter em "teimosia". Eu também sou um pouco saudosista. Uma vez disse e continuo achando que a década de 80 foi a melhor década da música nacional e internacional. Afinal de contas, eu cresci ouvindo essas músicas, lembro-me vagamente de assistir com meu pai filmes de bang-bang em uma tv preto e branco, fiquei maravilhado quando vi pela primeira vez um relógio digital e por aí vai...

O tempo passa, nós crescemos, ficamos velhos, a "barriguinha" aparece e (no meu caso) o cabelo desaparece mas aquele sentimento bom permanece em nós, como se fosse nosso tesouro pessoal armazenado no lugar mais seguro do mundo: dentro de nós.

Bom, depois de todo esse discurso, lembrei-me de algumas músicas da minha infância, outras da mesma época e que vim a conhecer muitos anos depois. E pensei: -E por quê não mostrá-las a alguém? Quem sabe não despertem lembranças preciosas esquecidas em você?

Quando tenho oportunidade, escuto minhas músicas preferidas e fico feliz por "me encontrar" de novo. Sinto que ainda estou muito vivo apesar do ritmo de vida que levamos não nos permitir isso e nos transformar quase que em robôs a serviço de sei lá o quê!

(Imagem extraída do site http://br.olhares.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Google+